Aumento alarmante de casos de dengue em Minas Gerais: situação de emergência é decretada e vacinação é anunciada

Em apenas uma semana, o número de casos de dengue em Minas Gerais mais do que dobrou, chegando a mais de 23 mil pessoas confirmadas com a doença. O governo do estado decretou situação de emergência devido a esse grande aumento, e já estamos no terceiro dia desde então. No último boletim, do dia 22, a Secretaria Estadual de Saúde registrava 11.490 casos, mas no dia 29 esse número subiu para 23.389.

Até agora, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou um caso de morte relacionada ao assunto e está investigando outros 35 casos. Na semana passada, a secretaria havia divulgado que um segundo óbito havia ocorrido. O portal BHAZ entrou em contato para obter esclarecimentos sobre o motivo da redução no número de mortes e aguarda uma resposta.

Continue lendo após a publicidade




O governo tem suspeitas de que outras 64.724 pessoas possam estar infectadas com dengue. A taxa de mortalidade da doença em Minas Gerais é de 0,34%.

O número de casos de chikungunya aumentou significativamente. Na última semana, havia 3.067 casos confirmados, mas agora já são 6.206. Além disso, há outros 8.682 casos em processo de investigação.

O número de vítimas fatais da doença continua inalterado, com apenas um caso registrado. Acredita-se que outros dois falecimentos possam ter sido ocasionados pela chikungunya, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde.

O Ministério da Saúde anunciou que 521 cidades brasileiras foram escolhidas para iniciar a vacinação contra a dengue através do Sistema Único de Saúde (SUS) a partir de fevereiro. Essas cidades estão distribuídas em 37 regiões de saúde, onde a doença é considerada endêmica. No total, 22 cidades de Minas Gerais estão incluídas nessa lista.

De acordo com a lista, há cidades que satisfazem os critérios em 16 estados e no Distrito Federal. As regiões escolhidas atendem a três requisitos.

O Ministério da Saúde anunciou que pretende imunizar crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, pois essa faixa etária apresenta um alto número de hospitalizações devido à dengue. De acordo com os dados, entre janeiro de 2019 e novembro de 2023, esse grupo representou 16,4 mil internações, ficando atrás apenas dos idosos, que ainda não estão autorizados a receber a vacina.

Compartilhe:

Veja stories do Sou Sabará

Veja stories do Sou Sabará Notícias