Estado pode punir quem burlar a ordem de vacinação da covid-19

Relatos de pessoas que não estão nos grupos prioriátios tem sido relatados em todo o Brasil, a responsabilidade pela aplicação das doses é das prefeituras, mas o cidadão também pode ajudar com denúncias.

A Controladoria-Geral do Estado de Minas Gerais (CGE-MG) informou que vai trabalhar, para garantir a integridade da ordem de prioridade da fila de vacinação.

Continue lendo após a publicidade




“Furar a fila da vacinação é inadmissível. Se você desrespeita a ordem prioritária, impede a imunização de quem arrisca sua vida na linha de frente. A CGE vai reprimir duramente aqueles que tentarem se utilizar de privilégios para burlar as prioridades de vacinação”, afirma o controlador-geral do Estado, Rodrigo Fontenelle.

Denúncias podem ser feitas no Canal Coronavírus, exclusivo para receber demandas relacionadas à covid-19 em todo o território mineiro. Acesse o serviço em www.ouvidoriageral.mg.gov.br.

Força-Tarefa Covid-19

Formada em março de 2020, a força-tarefa da CGE atuou preventivamente de modo a diminuir os riscos de irregularidades nas compras emergenciais relativas à covid-19. Foram R$ 700 milhões em compras de bens e serviços auditados, com mais de 87% dos valores empenhados. O resultado dessas ações foi de R$ 8,7 milhões preservados em benefício da gestão pública.

Portal

Para dar ainda mais transparência sobre os imunizantes recebidos pelo Estado e ajudar a esclarecer dúvidas da população, o Governo de Minas lançou o site vacinaminas.mg.gov.br.

O portal reúne informações sobre o número de doses, expectativa de pessoas a serem vacinadas e informações sobre os grupos prioritários. Além disso, o material oferece um compilado de perguntas e respostas para esclarecer os principais questionamentos sobre a imunização no estado.

Compartilhe:

Veja stories do Sou Sabará

Veja stories do Sou Sabará Notícias