fbpx

MPMG deflagra operação em Sabará e em outras cidades da região

Facebook
Twitter
WhatsApp
Email

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), da 4ª Promotoria de Justiça de Nova Lima e da 9ª Promotoria de Justiça – Auditoria Militar, deflagrou na manhã desta segunda-feira, dia 9, com apoio do Batalhão Rotam da Polícia Militar de Minas Gerais, da Corregedoria-Geral da Polícia Militar e da Corregedoria-Geral da Polícia Civil, a Operação Hexagrama – Fase III, para cumprir 18 mandados de prisão preventiva de policiais militares, 12 mandados de prisão preventiva de policiais civis e outros 3 mandados de prisão preventiva, além de 60 mandados de busca e apreensão.

Foto: MPMG

Os mandados foram expedidos pelo Juízo da Vara Criminal da Comarca de Nova Lima e pela 4ª Auditoria da Justiça Militar Estadual, que deferiram o requerimento ministerial.

As ordens judiciais autorizaram a entrada em residências e em locais de trabalho dos policiais civis e militares nos municípios de Belo Horizonte, Ribeirão das Neves, Santa Luzia, Esmeraldas, Contagem, Nova Lima, Vespasiano, Sabará, Betim e Lagoa Santa.

Continue lendo após a publicidade

A operação é a terceira fase da Operação Hexagrama, originalmente deflagrada em 6 de março de 2020, em que foram presas 14 pessoas – entre as quais dois policiais civis e cinco policiais militares – envolvidas na exploração de jogos de azar, em Belo Horizonte, e em outras quatro cidades da região metropolitana.

Com a continuidade das investigações, foram identificados outros 32 novos integrantes do grupo criminoso, entre eles 18 policiais militares e 12 policiais civis, alvos da atual fase da operação.

A organização criminosa está sendo investigada pela prática dos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, exploração ilegal de jogos de azar, homicídio, extorsão, ameaça, lesão corporais, dano ao patrimônio, destruição de cadáver, comércio ilegal de armas de fogo de uso restrito e acessórios, disparo de arma de fogo em via pública e lavagem de dinheiro.

Participaram da operação quatro promotores de Justiça, 54 policiais militares da Corregedoria-Geral da Polícia Militar, oito policiais militares do Batalhão Rotam e 70 policiais civis da Corregedoria-Geral da Polícia Civil.

Quer receber informações por email?

Se você tiver interesse de receber as atualizações do Sou Sabará em seu email, com notícias, vagas de emprego, cursos, eventos, etc... Cadastre-se abaixo. É grátis.

Quer receber informações por Whatsapp?

Adicione o número abaixo na sua lista de contatos e envie "Oi" para receber as notícias do Sou Sabará no seu Whatsapp

ANÚNCIOS

POSTAGENS RELACIONADAS

Você está offline