Bem-vindo ao Portal de Sabará - MG

História: Ponte Saldanha Marinho em Sabará (Ponte da Paciência)




Ponte Saldanha Marinho, em Sabará, com estrutura em triângulos: maestria na física e na estética.
Ponte Saldanha Marinho, em Sabará, com estrutura em triângulos: maestria na física e na estética.

“Ponte Saldanha Marinho, a madeira veio da fazenda da Jaguara- Sabará. Doação de Josafa Jena em 1 de setembro de 1981. Fotografo: Francisco Guimarães, de Sabará.”

AUTOR: FRANCISCO GUIMARÃES – Acervo Público mineiro O nome da ponte é homenagem a Joaquim Saldanha Marinho, nascido em Olinda, 4 de maio de 1816, foi um jornalista, sociólogo e político brasileiro.

Em 1867 Saldanha Marinho, Presidente das Províncias de Minas Gerais e de São Paulo contratou Dr. Henrique Dumont para tomar providencias da navegação no Rio das Velhas com o transporte de cargas e passageiros.

O Engenheiro Henrique Dumont, que era muito habilidoso e criativo, montou na fazenda do Jaraguá (da família) a melhor oficina de mecânica e de carpintaria da região, dedicando-se à construção de máquinas, edificações e embarcações. São notáveis duas obras do engenheiro: uma ponte de madeira na cidade de Sabará e um barco a vapor,com maquinaria importada do exterior.

Francisca de Paula Santos, Alberto Santos Dumont e Henrique Dumont.
Francisca de Paula Santos, Alberto Santos Dumont e Henrique Dumont.

Quando o viajante e aventureiro inglês Richard Burton esteve em Sabará, em 1867, relatou suas primeiras impressões sobre a vila e o rio das Velhas: “Entramos na cidade pela ponte […] muito comprida, muito baixa e muito velha. A largura total do leito do rio é de 108 metros.” E falou de um projeto que havia, para construir uma nova ponte: “Como de hábito, a ponte será feita de aroeira, árvore que cresce em grande quantidade rio abaixo.” Também fez referência ao porto:“… um embarcadouro de madeira, junto de um plano inclinado, mostra onde são descarregados, do barco do sr. Dumont, os enormes troncos de árvores destinados à Mina de Morro Velho. Para cima desse ‘Porto Dumont’, porém o rio não é navegável.”

Exatamente naquele ano, uma enchente colossal destruiu a ponte. Imediatamente, o governador Saldanha Marinho encomendou, ao engenheiro Dumont, uma substituta mais sólida. Nela se utilizou madeira − aroeira e braúna. A carga, como de hábito, foi transportada em barcaças, movimentadas à vara por escravos. O desenho da estrutura teve alto padrão técnico e esmero estético, resultando em uma verdadeira obra de arte.

"VISTA GERAL DE SABARÁ- 1981- FOTO DE FRANCISCO GUIMARÃES."
“VISTA GERAL DE SABARÁ- 1981- FOTO DE FRANCISCO GUIMARÃES.”

Na incumbência de tornar navegável este rio, o projeto do vapor foi muito importante para aquela época, trazendo um marco importante para o estado e para a cidade de Sabará.

O vapor Henrique Dumont foi o primeiro a navegar o São Francisco, sendo denominado “Saldanha Marinho” que hoje repousa intacto em uma praça na cidade de Juazeiro (BA), numa homenagem a todos os vapores. O projeto do vapor Saldanha Marinho, único no São Francisco a utilizar rodas laterais, foi construído na América do Norte e chegou ao Brasil desmontado e, transportado em carretas puxadas por bois e por ferrovias, terminou chegando a Sabará. Inaugurado em 1871 pelo imperador Dom Pedro II, foi lançado nas águas do rio das Velhas em grande festa. Descendo esse rio atracou na cidade de São Francisco (MG) onde permaneceu por longos anos aos cuidados da Câmara Municipal da cidade, sendo posteriormente conduzido para a cidade de Pirapora, onde chegou em 1878. Durante vários anos, navegou de Pirapora MG a Juazeiro BA. Tinha o apito rouco e estridente que atraía os moradores ribeirinhos das margens do rio para vê-lo passar com suas duas rodas laterais. A capacidade de carga do vapor Saldanha Marinho era de 6 toneladas e de 12 passageiros. (JMC-2008)

Vapor Saldanha Marinho ancorado no Rio São Francisco.
Vapor Saldanha Marinho ancorado no Rio São Francisco.

 

Vapor Saldanha Marinho ancorado na cidade de Juazeiro (BA)
Vapor Saldanha Marinho ancorado na cidade de Juazeiro (BA)

 Curiosidade: O Dr. Henrique Dumont que construiu a ponte Saldanha Marinho em Sabará, era pai de Santos Dummont o inventor do avião.

Fontes:

Acervo Público Mineiro
Blog O Sumidouro – Eduardo de Paula
Screenair

Referências:

http://sumidoiro.wordpress.com/2012/03/01/sumidouro-abreu-guimaraes-sabara-lagoa-santa-luzia-pedro-ii-jaguara-paula-santos-nova-lima-chalmers-visconde-rio-velhas-saldanha-marinho-morro-velho-mocambo-matozinhos-aleijadinho-fonseca-viana/ http://www.screenair.com/dumont1.htm http://vapordovinho.com/vapores.html http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/fotografico_docs/photo.php?lid=29664

 

Adicione o número abaixo na sua lista de contatos e envie “Oi” para receber as notícias do Sou Sabará no seu Whatsapp

 



Fechar Menu